Autarquias pernambucanas apoiam CPI das faculdades irregulares‏


Estudantes de Pernambuco poderão ficar mais tranquilos depois que a Assembleia Legislativa (Alepe) divulgar o resultado da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a atuação irregular de diversos estabelecimentos de Ensino Superior no Estado. As autarquias pernambucanas, entre elas a Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape), comemoraram a instalação da CPI.
Segundo o presidente da Facape e vice-presidente da Assiespe (Associação das Instituições de Ensino Superior de Pernambuco), Rinaldo Remígio (foto), a principal denúncia é de que cursos de extensão – com duração menor – estão sendo ofertados como graduação. “Essas instituições disponibilizam ‘falsas’ facilidades como forma de atrair o estudante. A maioria delas não cumpre a carga horária para um curso de graduação. Ainda há suspeitas de irregularidades em convênios, propaganda enganosa e estelionato”, explicou Remígio.
De acordo com o presidente da CPI, deputado Rodrigo Novaes, os cursos superiores ilegais podem atingir cerca de 40 mil estudantes. Para a relatora Teresa Leitão, é preciso punir os responsáveis por essas fraudes, mas também realocar os alunos prejudicados. “Além da investigação, estamos propondo medidas protetivas. Já solicitamos, por exemplo, que escolas públicas não façam mais a cessão de suas instalações para essas faculdades”, destacou a deputada.
Compromisso das autarquias
Segundo o professor Remígio, a CPI vai ratificar o ensino de qualidade ofertado pelas autarquias pernambucanas, que hoje têm credenciamento no Conselho Estadual de Educação (CEE).
“Nos últimos dias, a Facape foi recredenciada junto ao conselho e aguarda a autorização para a abertura de novos cursos. Passamos por fiscalizações constantes, seja do próprio CEE ou de órgãos como o Tribunal de Contas. A CPI irá punir aqueles que não têm compromisso com a educação e com a sociedade”, disse o presidente da Facape.
A comissão possui um cronograma definido e esta semana já ouviu dois professores de cursos investigados. Como instrumento para denúncias, a Assembleia disponibilizou o endereço cpifaculdadespiratas@alepe.pe.gov.br e também vai criar um número de telefone.
Monyk Arcanjo/Ascom Facape
Compartilhar no Google Plus

Postado por André Luiz

Entre em contato conosco através do e-mail: sobradinhonoticias@hotmail.com para envio de notícias, sugestões e outros assuntos.