Valorização da galinha de capoeira apresenta resultados significativos‏


A criação de pequenos animais, a exemplo de galinhas, é uma atividade presente na vida dos/das agricultores e agricultoras do Semiárido, porém cada vez mais há uma introdução de galinhas de linhagens exóticas especializadas em corte e postura. Um dos resultados disso tem sido a perda da galinha de capoeira, aquela tipicamente criada nas comunidades rurais.
Para conhecer experiências de criação de galinhas de capoeira, colaboradores do Irpaa visitaram comunidades tradicionais na zona rural do município de Queimada Nova – Piauí no início do mês de outubro. Em Queimada Nova, vem se desenvolvendo um trabalho de recuperação da raça de galinha “canela preta”, uma iniciativa do pesquisador biólogo Marcos Jacob, da Embrapa Meio Norte e o Técnico em agropecuária Parcelli Rodrigues, da empresa Emplata, junto com agricultores e agricultoras familiares, incluindo indígenas e quilombolas.
De acordo com André Rocha, colaborador do Irpaa, a iniciativa do resgate da galinha de capoeira, começou após a observação de famílias que ainda mantinham a tradição na cultura dessas galinhas. “Eles começaram a identificar caraterísticas fenotípicas das galinhas, começaram a fazer os acasalamentos direcionados, a coletar material, o sangue pra fazer avaliação dos genes e fazer comparação pra vê o nível de pureza que ainda existiam e com isso passou a multiplicar a criação”, diz André.
O incentivo à implantação de núcleos de criação destas galinhas vem contribuindo para uma maior conscientização sobre a importância ecológica, social e econômica da manutenção de aves crioulas, independente da linhagem. Essas galinhas são pretas, de médio à grande porte, resistentes a doenças, boas produtoras de carne e ovos, com histórico de postura em torno de 65% e peso de 3kg aos seis meses de vida.
A criação desta raça de galinhas diminui os gastos das famílias, já que na maioria dos casos os animais acessam uma diversidade de extratos e sementes vegetais nativas, bem como insetos que vivem nos solos disponíveis na propriedade. Além de reduzir ou eliminar a dependência de insumos externos como rações de farelos oriundos de grãos transgênicos e de medicamentos.
Criação de galinha de capoeira no Território Sertão São Francisco
Com o serviço de Assessoria Técnica e Extensão Rural - Ater e das tecnologias de armazenamento de água de chuva, os quais são acompanhados de recursos destinados à implementação de estruturas de caráter produtivo, cresce a instalação de galinheiros por famílias acompanhadas pelo Irpaa, as quais acessam o fomento ou são beneficiárias do P1+2.
Na maioria dos casos, as famílias adquirem pintos de linhagens exóticas especializadas em corte e postura, com significativa dependência de pacotes tecnológicos do agronegócio (ração balanceada, medicamentos, manejo intensivo, ambiente controlado, etc). Em outros casos, as próprias aves já existentes passam a ser confinadas, sob justificativa de não destruir as hortas, não ter acesso a dejetos humanos ou estarem mais protegidas de predadores e roubos.
Tais mudanças no sistema de criação das galinhas vêm ocasionando pelo menos três grandes impactos negativos nesta cultura: perda de raças/linhagens adaptadas; dependência de recursos externos à propriedade; e aumento da incidência de doenças e surtos de mortalidade de aves.
Um dos objetivos da visita técnica em Queimada Nova foi buscar conhecimento e animação para tentar animar as famílias do Território Sertão do São Francisco a identificarem raças nativas. “Acredito que ainda existem em algumas comunidades aves que foram naturalizadas aqui, no nosso clima, na nossa região.... identificar, resgatar, fazer acasalamento pra multiplicar esse material genético, quem sabe a gente conseguia ampliar o número de aves, de criações que tenham essas caraterísticas”, pontua André Rocha.
Comunicação IRPAA
Compartilhar no Google Plus

Postado por André Luiz

Entre em contato conosco através do e-mail: sobradinhonoticias@hotmail.com para envio de notícias, sugestões e outros assuntos.