Dólar fecha em baixa após abertura de processo de impeachment de Dilma


O dólar recuou para abaixo de R$ 3,80 nesta quinta-feira (3), com a reação positiva de investidores à abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, mas ainda ponderando as implicações da decisão para a economia brasileira e os mercados financeiros.
O mercado também reagiu bem à aprovação pelo Congresso, na quarta-feira, da redução da meta fiscal deste ano, autorizando o governo a trocar a previsão de um superávit de R$ 66,3 bilhões em 2015 por um déficit que pode bater em R$ 119,9 bilhões.
Com isso, o Executivo teria condições de revogar o decreto editado na segunda-feira para contingenciar R$ 11,2 bilhões de despesas não obrigatórias, e que ameaçava paralisar a administração pública.
A moeda norte-americana caiu 2,26%, a R$ 3,7488 para venda. Veja a cotação do dólar hoje.
Veja a cotação ao longo do dia:
Às 9h10, caía 0,44%, a R$ 3,8186.
Às 9h49, caía 0,33%, a R$ 3,8225.
Às 10h29, caía 0,21%, a R$ 3,8272.
Às 10h49, caía 0,74%, a R$ 3,8069.
Às 11h, caía 0,98%, a R$ 3,7979.
Às 11h10, caía 1,22%, a R$ 3,7887.
Às 11h29, caía 1,06%, a R$ 3,7945.
Às 12h10, caía 1,31%, a R$ 3,7852.
Às 12h20, caía 1,53%, a R$ 3,7768.
Às 13h, caia 0,91%, a R$ 3,8003.
Às 13h20, caía 1,49%, a R$ 3,7783.
Às 13h50, caía 1,49%, a R$ 3,7783.
Às 14h20, queda de 1,3%, a R$ 3,7858.
Às 14h55, queda de 1,42%, a R$ 3,7809.
Às 15h20, queda de 2,07%, a R$ 3,7560.
Às 15h55, queda de 2,37%, a R$ 3,7448.

Na Bovespa, o mercado também mostrou boa reação ao anúncio da abertura de processo de impeachment contra a presidente da República. Às 15h33, o Ibovespa tinha alta de 3,36%, aos 46.422 pontos.
Também contribuiu para a queda da moeda norte-americana a redução dos juros do Banco Central Europeu (BCE) nesta manhã, que aumenta a atratividade de investimentos em mercados emergentes.
No fim da quarta-feira, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aceitou o pedido de abertura de processo de impeachment contra Dilma. O processo ainda precisa tramitar por diversas etapas antes de resultar em uma votação final que decida o futuro da presidente.
"A (eventual) saída de Dilma é vista como positiva e representa mudanças. Entretanto, temos que lembrar que o processo é longo e incerto, fragiliza ainda mais o já combalido governo do PT e coloca o país mais perto de perder o seu segundo grau de investimento", disse à Reuters o operador da corretora SLW João Paulo de Gracia Correa.
"O mercado embalou em uma onda de bom humor hoje, mas não acredito que isso dure. A volatilidade deve continuar bastante elevada", disse o analista de uma outra corretora ouvida pela agência Reuters.

Na véspera, o dólar fechou em queda de 0,5%, a R$ 3,8355. Na semana e no mês, o dólar acumula alta de 0,32% e queda de 1,31%, respectivamente. No ano, há valorização de 44,26%.

Intervenção do BC
A atuação do Banco Central brasileiro completava o quadro favorável para o real, após a autoridade monetária anunciar para esta tarde leilão de venda de até US$ 500 milhões com compromisso de recompra. Segundo a assessoria de imprensa da autoridade monetária, a operação não tem como objetivo rolar contratos já existentes.

O BC também deu continuidade, pela manhã, à rolagem dos swaps cambiais que vencem em janeiro, com oferta de até 11.260 contratos, que equivalem a venda futura de dólares. Até agora, a autoridade monetária já rolou o equivalente a US$ 1,645 bilhão, ou cerca de 15%do lote total, que corresponde a US$ 10,694 bilhões.
Informações/G1
Compartilhar no Google Plus

Postado por André Luiz

Entre em contato conosco através do e-mail: sobradinhonoticias@hotmail.com para envio de notícias, sugestões e outros assuntos.