Na 92ª São Silvestre - 2016, a África foi hegemônica e venceu


O Brasil esteve vivo na briga pela vitória da 92ª da Corrida Internacional de São Silvestre, apesar de não a ter conseguido em 2016. O primeiro lugar ficou com o etíope Leul Aleme, que com consistência e tempo de 44 minutos e 51 segundos, conseguiu bater outros corredores africanos e o brasileiro Giovani dos Santos, que realizou prova de ótimo desempenho e terminou em quarto. A segunda colocação ficou com Dawit Admasu, também da Etiópia, enquanto Stephen Kosgei, do Quênia, foi o terceiro.
Giovani correu de igual para igual com Aleme na maior parte do percurso, e esteve vivo na disputa pela liderança em pelo menos dois terços da prova. Só na etapa final, o ritmo do etíope acabou se sobressaindo sobre o do mineiro, o que causou a abertura de distância entre os dois competidores.
Leul Aleme cruzou a linha de chegada seguido de perto do concorrentes - Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

O Brasil melhorou seu desempenho na prova masculina em relação a 2015, quando o próprio Giovani havia sido o melhor colocado, na quinta posição. A última vitória nacional da São Silvestre segue sendo a de Marílson Gomes dos Santos, em 2010.
No pelotão principal, o brasileiro Adriano de Oliveira começou a corrida bem, liderando-a e alterando a ponta com outro atleta nacional, Reginaldo da Silva. Principal esperança do país na competição, Giovani dos Santos também largou no grupo de frente e disputava a posição mais altas com os atletas africanos, favoritos para a vitória.
Já na metade do percurso, Reginaldo acabou diminuindo o ritmo e ficando para trás, mas Giovani se manteve consistente e muito próximo dos concorrentes pela liderança da corrida. Nos últimos cinco quilômetros, a disputa era acirrada com Leul Aleme, da Etiópia, pela ponta.
Giovani dos Santos melhorou seu desempenho em relação ao ano anterior - Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Foi só nos últimos dois quilômetros que Giovani acabou perdendo o ritmo da passada com os rivais, na complicada subida da Avenida da Brigadeiro Luís Antônio. O brasileiro, que esteve muito perto da liderança, acabou ficando na quarta colocação.
Os metros finais na Avenida Paulista reservaram emoção, já que três competidores africanos chegaram inteiros e brigando a vitória passada a passada. Nos metros finais, Leul Aleme conseguiu executar sprint final e escapar, abrir pequena margem e administrar a diferença até cruzar a linha de chegada, em frente a Fundação Cásper Líbero, na primeira colocação.
Confira do pódio da prova masculina da 92ª Corrida Internacional de São Silvestre:
1) Leul Aleme (Etiópia): 44m53
2) Dawit Admasu (Etiópia): 44m55
3) Stephen Kosgei (Quênia): 45m00
4) Giovani dos Santos (Brasil): 45m30
5) Willian Kibor (Quênia): 45m49



Campeã olímpica no Rio de Janeiro, a queniana Jemima Sumgong confirmou o favoritismo ao vencer neste sábado a 92ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre. A atleta disse ter se surpreendido com a distância que abriu para as outras competidoras e afirmou que se sente abençoada no Brasil.
“O Brasil é um país abençoado para mim. Na primeira vez em que eu vim para cá, ganhei as Olimpíadas do Rio. Agora, na segunda vez, venci de novo. São feitos muito bons para mim e para o meu país. Posso dizer que o Brasil é um lugar de bênçãos para mim”, disse a atleta.
Jemima correu os 15km da São Silvestre em 48min35s, estabelecendo um recorde para a modalidade feminina. A marca anterior, de 48min48s, já durava cinco anos e pertencia à também queniana Priscah Jeptoo.
A atleta disse que não esperava vencer a prova com tamanha facilidade. A segunda colocada, a queniana Flomena Daniel, terminou o percurso em 49min15s. “Não achei que seria tão fácil. O clima estava úmido e quente para mim. As subidas e descidas da cidade também foram uma dificuldade. Não sabia o que iria encontrar”, afirmou.
“Vim para ganhar a prova, e não para quebrar o recorde. Não sabia que isso aconteceria. Foi uma surpresa”, acrescentou.
Jemima não chegou a dizer se planeja correr a edição de 2017 da prova. Mas fez agradecimentos à organização da São Silvestre e às pessoas que a apoiaram nas ruas. “Os brasileiros estavam torcendo por mim em todos os trechos. Eles me motivaram, são pessoas muito legais”, disse.
“Há muita segurança em todos os lugares. Isso também é muito bom”, prosseguiu a queniana. “Quero agradecer à organização da São Silvestre. Todos foram muito legais, apesar de o calor ter tornado o final da prova muito difícil”, concluiu.
Confira o pódio da prova feminina:
1: Jemima Jelagat (QUE) – 48min35s
2: Flomena Cheyech Daniel (QUE) – 49min15s
3: Eunice Cehbicii (BRN) – 50min26s
4: Ymer Wude (ETI) – 51min40s
5: Ester Chesang Kakuri (ETI) – 51min45s
7: Tatiele Roberta de Carvalho (BRA) – 54min01s

Fonte: http://www.saosilvestre.com.br/

Compartilhar no Google Plus

Postado por George Silva

Entre em contato conosco através do e-mail: sobradinhonoticias@hotmail.com para envio de notícias, sugestões e outros assuntos.