Encontro Municipal em Araripina discutiu o potencial produtivo das famílias assessoradas pelo Semiárido Produtivo


A execução de projeto se torna mais rica e envolvente quando todas/os vivenciam e participam de seu desenvolvimento. Essa é percepção do agricultor Luiz Pereira, da comunidade Lagoa de Olho D' Água, Araripina - PE, em relação à metodologia participativa do projeto Semiárido Produtivo. "Todos esses projetos que chegaram para a agricultura familiar eram prontos... esse a gente ‘tá’ podendo acompanhar, questionar", afirma o agricultor.
Esse sentimento foi compartilhado durante o Encontro Municipal do Projeto Semiárido Produtivo, que reuniu as/os agricultoras/es do Araripina assessoradas/os pelo projeto, parceiros e a equipe do Irpaa para discutir e planejar as ações do Semiárido Produtivo e debater a Convivência com o Semiárido, dando ênfase ao acesso água. O encontrou aconteceu nos dias 12 e 13 de junho, no Centro de Habilitação e Apoio ao Pequeno Agricultor do Araripe – Chapada.
Em Araripina, o projeto atua em três comunidades: Caldeirão, Capim e Sítio do Olho D’ Água, assessorando 21 famílias no total. Uma dessas famílias é de Maria Núbia dos Santos Carvalho, agricultora acredita que o Semiárido Produtivo vai contribuir na união das comunidades e nas atividades agrícolas das mesmas. “No encontro a gente já vai pegando dicas para melhorar nosso trabalho”, diz a agricultora.
O plantio de grãos, de plantas forrageiras, a produção em quintais produtivos e a criação de pequenos animais, são algumas das atividades exercidas pelos agricultores e agricultoras familiares assessoradas/os no projeto. Na propriedade de seu Luiz é possível encontrar essa diversidade de produção. “As minhas sementes são naturais, desde meus avós, nunca viram veneno, nunca viram trator. Eu tenho quatro áreas de terra dispersas e nela eu tenho os todos os legumes que você imaginar”, afirma o agricultor orgulhoso por trabalhar e defender o cultivo agroecológico.
A expectativa de seu Luiz é que o projeto possa contribuir na geração de renda das famílias, a partir da organização produtiva das mesmas, ao longo dos três anos de execução do Semiárido Produtivo. “Nós vamos ter melhoria na situação financeira das famílias, nessa melhoria você melhorar a estrutura da sua propriedade, você vai melhorar o cuidado com seu rebanho”, pontua o agricultor.
Diante o alto potencial produtivo no cultivo de frutas, verduras, hortaliças, criação de galinha, de porco, de bode, das famílias assessoradas em Araripina e a diversidades de feiras agroecológicas presente no município, essa expectativa de seu Luiz pode ser alcançado a partir dos investimentos coletivos em horta comunitária e fortalecimento das demais atividades produtivas das famílias. “Nós vamos tentar fortalecer o que as comunidades já têm de potencial produtivo, principalmente ao sistema produtivo de pequenos animais e também de hortas, onde há um acesso de água... para que a comunidade se desenvolva a partir do apoio do projeto”, expõe Aurivan Santana, Assessor Produtivo do projeto no município de Pernambuco.
O projeto Semiárido Produtivo é executado pelo Irpaa nos estados de Pernambuco, Bahia, Alagoas, Sergipe e Piauí, com o financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Texto e foto: Comunicação Irpaa
Compartilhar no Google Plus

Postado por George Silva

Entre em contato conosco através do e-mail: sobradinhonoticias@hotmail.com para envio de notícias, sugestões e outros assuntos.