Em frente ao TJPE, mãe de Beatriz volta a pedir prisão de suspeito de apagar imagens de câmeras de segurança e diz que não vai aceitar “interpretação pessoal” do judiciário


Familiares e amigos da menina Beatriz Angélica Mota estão realizando uma manifestação no Recife, nesta manhã. Em frente ao Tribunal e Justiça (TJPE), Lucinha Mota, mãe da garota, reforçou que não aceitará nenhuma interpretação de cunho pessoal por parte do judiciário, que deve colocar em pauta um recurso contra o suspeito de apagar as imagens das câmeras de segurança do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, onde Beatriz foi morta em 10 de dezembro de 2015.
Eu vou lutar por justiça por Beatriz até o ultimo dia da minha vida. Exigimos o posicionamento firme e exemplar do judiciário. Não irei aceitar nenhuma interpretaçãozinha de forma insignificante. Queremos o cumprimento do nosso Código Penal. Nós exigimos. Não aceito interpretação pessoal, eu quero uma decisão justa. Beatriz merece. Não irei sair daqui enquanto eu não receber essa decisão”, afirmou Lucinha, aos prantos.
O funcionário da escola citado por Lucinha é Allinson Henrique de Carvalho Cunha, que já negou tudo. “O que falta [para solucionar o caso] é gente de peito, de coragem, de honra”, endossou a mãe de Beatriz.

Fonte: Blog do Carlos Brito


Compartilhar no Google Plus

Postado por George Silva

Entre em contato conosco através do e-mail: sobradinhonoticias@hotmail.com para envio de notícias, sugestões e outros assuntos.