Suíca diz que reforma da previdência prejudica trabalhadores e acalenta patronato


Crítico ferrenho da reforma da previdência desde o projeto enviado pelo então presidente Michel Temer (MDB), o vereador e vice-líder da oposição em Salvador, Luiz Carlos Suíca (PT), segue sua linha e detona a peça apresentado por Jair Bolsonaro (PSL) esta semana. Nesta quinta-feira (21), o petista disse que “a proposta vai levar o país de volta para a miséria”. Ele destaca que o projeto atinge ao menos 83% dos trabalhadores mais pobres que ganham apenas dois salários mínimos, principalmente as mulheres e trabalhadores rurais. “É uma vergonha equipará o trabalho de mulheres com o de homens. Essa proposta destrói a aposentadoria por tempo de contribuição e no caso das mulheres aumenta em sete anos a idade mínima delas se aposentarem”.

Suíca se refere à idade mínima de aposentadoria que será de 62 anos para as mulheres, e para homens será de 65 anos. Os beneficiários terão que contribuir por no mínimo 20 anos. “Isso sem contar os três turnos que a mulher exerce diariamente, não foi levado em consideração também que o índice de insalubridade delas é bem maior que o dos homens em todos os setores. Não podemos concordar com isso”, salienta. Para o edil petista a PEC não atinge os privilegiados. “Essa proposta tira o BPC [Benefício de Prestação Continuada] dos idosos porque traz de um salário mínimo para R$ 400. Reduz o benefício dos trabalhadores de pouquíssimos salários em mais de 40%, no cálculo do benefício. Uma cozinheira que ganha dois salários mínimos vai ganhar um e meio de aposentadoria”.

Suíca diz também que os trabalhadores rurais, as mulheres do campo terão que trabalhar cinco anos a mais com uma carência cinco anos maior fazendo quatro jornadas de trabalho no campo. “As pessoas com deficiência, por exemplo, não vão poder receber o benefício se venderam bala no ônibus, porque não podem ter nenhuma remuneração para poder receber o BPC. Mulheres que ganham pensão por morte não terão mais o valor vinculado ao salário mínimo. São exatamente os trabalhadores mais pobres que sofrerão. Enquanto isso a reforma não atinge grupos hegemônicos destes país, só beneficia o patronato”, completa.

O edil soteropolitano ainda criticou os desvios de recursos do fundo partidário do PSL, que foi utilizado para financiar candidaturas de homens usando candidaturas fantasmas de mulheres. “Lugar de mulher é onde ela quiser. E isso tem de ser repetido todo dia. O partido do presidente da República usurpou valores da campanha de candidata para poder ajudar a eleger homens, além de ter feito negócios com gráficas que não existem. Temos de defender os 30% dos recursos do fundo eleitoral para candidaturas femininas, medida que garante mais mulheres na política e em locais de poder”, finaliza Suíca.

Ascom do Vereador Luiz Carlos Suíca
Vitor Fernandes (DRT-2430)
71 988789657

Compartilhar no Google Plus

Postado por George Silva

Entre em contato conosco através do e-mail: sobradinhonoticias@hotmail.com para envio de notícias, sugestões e outros assuntos.