Jovens de comunidades tradicionais realizam Encontro em Campo Alegre de Lourdes


Com o objetivo de incentivar a participação dos jovens no engajamento das questões sociais em suas comunidades, foi realizada, durante a manhã da última sexta-feira (3), uma formação com a juventude rural no município de Campo Alegre de Lourdes (BA). A atividade reuniu cerca de 30 participantes, jovens de comunidades tradicionais de fundo de pasto do município.

Durante o Encontro, os/as jovens discutiram as atuais demandas das comunidades, bem como propostas e articulações de luta para enfrentamento de conflitos territoriais. A facilitação do espaço foi realizada pelo integrante do Sertão Agroecológico/Univasf e colaborador da Comissão Pastoral da Terra (CPT), Diego Limaverde, e a agente da CPT Marina Rocha. Através de dinâmicas e metodologias participativas, os facilitadores buscaram traçar pontos como as fortalezas, oportunidades, fraquezas e ameaças presentes nesses territórios a partir do olhar da juventude.

De acordo com Diego, a utilização das metodologias participativas tem como intuito auxiliar a juventude na identificação e sistematização dessas questões. "Além disso, isso também nos leva a refletir e traçar objetivos sobre como nós, enquanto instituição, podemos atuar diretamente com essas comunidades", afirma. Outro ponto ressaltado pelo colaborador é a importância no papel de mediação desenvolvida pela CPT, reforçando o protagonismo dos próprios jovens.

Entre os participantes do Encontro, muitos já integraram edições da Escola de Formação Juventude, promovida pela CPT. Um deles é o articulador social e técnico em agropecuária, Anselmo Ferreira, da comunidade tradicional de fundo de pasto Baixão dos Bois. Hoje à frente das organizações de jovens dentro desse território, ele atenta para a relevância dessa coletividade. "É importante que a gente esteja junto e organizado, sozinho ninguém consegue e, se consegue, é uma conquista individual. O que importa mesmo é o bem coletivo", conta.

Ao fim do encontro, foram traçadas novas metas e atividades de formação a serem realizadas, de acordo com demandas apresentadas pelos próprios jovens, a exemplo da continuação da formação continuada, oficinas de arte e de comunicação e o seguimento da articulação popular da juventude em seus territórios.

Texto:  Comunicação CPT Juazeiro
Fotos: Mayane Santos 

Entre em contato conosco também via WhatsApp!