Suíca aponta que dia das tradições africanas é reconhecimento cultural do povo negro

O último dia do mês de setembro é especial para o povo negro em Salvador. É no 30 de setembro que se comemora o Dia Municipal das Tradições das Raízes de Matrizes Africanas e Nações do Candomblé. Essa data consta no calendário cultural da capital baiana graça a um projeto de lei do vereador Luiz Carlos Suíca (PT), que garantiu uma política de reparação e uma forma de homenagear a cultura popular. Conforme o edil petista, a ação foi um pedido direto do movimento negro do estado da Bahia e assegura o reconhecimento cultural e religioso, além da preservação das raízes africanas.

“É de suma importância que datas como essa sejam, cada vez mais, expostas e façam parte do calendário tradicional de Salvador. O nosso projeto foi para prestar justa homenagem a esta religião tão popular no nosso país e que tanto contribui para a preservação das raízes africanas formadoras do nosso povo. Tenho orgulho de ser reconhecimento como um vereador que luta para preservar suas raízes. Tenho a cultura africana e o candomblé no sangue e o povo negro é maioria nesta cidade, e neste estado. Tudo que fizermos para reparar será pouco”, destaca o vereador soteropolitano.

Vice-líder da oposição na Câmara de Salvador, Suíca ainda frisa que o Dia Municipal das Tradições das Raízes de Matrizes Africanas e Nações do Candomblé também é importante para o turismo religioso na cidade. Ele destaca que a capital baiana está no roteiro turístico nacional e que matrizes africanas ampliam o conhecimento sobre história do povo negro e sobre a própria história da cidade. “Se completam na verdade. Cultura e religião são de conhecimentos populares, acredito que ambos, na teoria, estão diretamente ligados ao conhecimento popular”, completa.


Ascom do Vereador Luiz Carlos Suíca
Vitor Fernandes (DRT-2430)

Entre em contato conosco também via WhatsApp!