“Março é visto como um mês de mobilização”, diz integrante da Rede Mulher do Sertão do São Francisco


A intenção de dar visibilidade à pauta feminista tem motivado mulheres de todo o país a realizarem diferentes tipos de eventos neste mês de março. Caminhadas, encontros, seminários, ocupações, feiras, dente outras atividades, buscam evidenciar a necessidade de diálogo permanente acerca de temas como empoderamento feminino, luta por direitos, combate à violência contra mulher, fortalecimento da participação da mulher na política, etc.


Na Bahia, o Sertão do São Francisco sediará uma série de eventos nos municípios, tanto nas cidades quanto no campo. Alguns destes estão sendo organizados pela Rede Mulher, que conta hoje com representantes em Remanso, Sento Sé, Pilão Arcado, Campo Alegre de Lourdes, Casa Nova, Juazeiro, Uauá e Canudos. Uma das coordenadoras territoriais da Rede Mulher, Jaciara Ladislau, destaca que o 08 de março “é uma data que alimenta nosso imaginário (…). O mês de março é visto como um mês de mobilização, para conquistar nossos direitos e para discutir as dimensões das violências que ainda se tem até hoje”.

Para ampliar as discussões e fortalecer a presença da Rede Mulher nos municípios, Uauá, Pilão Arcado, Sento Sé e Remanso sediarão atividades a partir deste dia 08. Em Uauá, a comunidade de Pocinho contará com um encontro na manhã do Dia Internacional da Mulher, dia 08, mesmo momento em que estará acontecendo caminhada, palestra, café da manhã e missa na cidade de Pilão Arcado.


Em Sento Sé, a Rede realizará atividades no dia 12, contando com caminhada pelas ruas centrais da cidade e evento do Programa “Ela Pode”. Além disso, é o dia em que, quinzenalmente,  acontece a tradicional Feira Agroecológica organizada pela Rede Mulher. Já o município de Remanso irá realizar um momento alusivo no dia 03 de abril, também contando com uma Feira Agroecológica da Mulher.

As integrantes da Rede convidam mulheres do campo e da cidade a se aproximarem desses espaços e, além de vivenciarem estas atividades, conhecerem melhor o propósito e o funcionamento da Rede Mulher, uma iniciativa que já existe há 20 anos e tem contribuído para o empoderamento de dezenas de mulheres agricultoras, artesãs, pescadoras, que acreditam na organização como forma de transformar suas realidades.

Texto: Comunicação Irpaa
Entre em contato conosco também via WhatsApp!