“Bolsonaro é irresponsável, genocida e comete crime contra a democracia e a saúde pública”, diz deputado


Os atos contrários ao isolamento social durante a pandemia de Covid-19 no Brasil incentivados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltaram a causar revolta no meio político e fora dele também. Nesta segunda-feira (20), o deputado estadual Marcelinho Veiga (PSB) não poupou críticas à atitude do presidente de participar de manifestação, em Brasília, que ainda pediu intervenção militar e fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Em meio à pandemia - que já matou mais de 170 mil no planeta, onde a OMS [Organização Mundial da Saúde] aconselha o distanciamento social, o presidente da República, com tosse, participa de ato contra a democracia, enaltece a ditadura e o AI5 [Ato Inconstitucional número 5], promovendo ainda aglomerações. É um irresponsável, genocida e que comete crime contra a democracia e a saúde pública. Isso precisa ser reparado urgentemente”, dispara Marcelinho Veiga.

As manifestações pelo Brasil foram incentivadas por Bolsonaro e, até mesmo, o procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou ao STF, a abertura de um inquérito para apurar os casos que podem ser configurados como “delituosos envolvendo a organização de atos contra o regime da democracia participativa brasileira”. É da Suprema Corte a responsabilidade de investigar pessoas com foro privilegiado. “Temos que colocar um freio nessas sandices do presidente”, completa o deputado baiano.

Ascom do deputado Marcelinho Veiga
Vitor Fernandes (DRT-2430)
Entre em contato conosco também via WhatsApp!